topo
Atibaia/SP
RSS  Twitter  Facebook 

Grupo JC
Acesse tambm:
Colunas deste autor:


Leia também:
Você está aqui: Home › Colunas › Cris Siqueira
Aumentar fonte Diminuir fonte Imprimir
0
CompartilharTwitter Facebook Orkut
19/12/2018

Beto Magnani em cartaz com a pea PANA

Beto Magnani entra em cartaz com a peça “Pança” na Cia Pessoal do Faroeste em São Paulo. 

Tragicomédia inspirada em personagens do “Dom Quixote”, de Miguel de Cervantes, aborda mercado, economia e relações humanas.


Beto Magnani e Cris Siqueira

A tragicomédia de Leo Lama, com atuação de Beto Magnani, se inspira na forte ligação entre Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro Sancho Pança, personagens de Miguel de Cervantes, para evidenciar as mazelas das relações de poder em nossa sociedade. A montagem é uma parceria com a Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos, companhia teatral de Botucatu, interior de São Paulo, coordenada por Robert Coelho, que assina a direção do espetáculo.

Pança, que conduz toda a narrativa, é o segundo homem mais importante da maior potência econômica do planeta, braço direito do todo poderoso Dom Quixote. Sua tarefa é explicar para os iniciantes, aspirantes ao poder, quais são as regras do jogo. Pança passa pelo moedor grandes pedaços de carne diante de seus ouvintes, ao mesmo tempo em que esmiúça, com humor e requintes de crueldade, o funcionamento da economia mundial, a decadência do Estado de direito e a instabilidade das relações humanas em sua forma mais bruta. 

“Há uma atmosfera ritualística. Ele corta e moe pedaços de carne e prepara um hambúrguer, que é assado em uma churrasqueira elétrica e consumido enquanto conta as histórias de seu idolatrado chefe Dom Quixote. O lugar é indefinido, pode ser os fundos de um açougue, um galpão abandonado, um beco de rua”, explica Magnani, acrescentando que ao texto somam-se referências “Kafkianas” e “antropofágicas”, como, por exemplo, o boato de que Pança pode virar um cachorro. 


A dramaturgia de Leo Lama expõe também o formato de funcionamento do tráfico de cocaína. Das hierarquias à logística, passando pelas consequências do produto na vida dos consumidores, a narrativa detalha a brutalidade desse submundo. Não há juízo de valor e sim um lúcido olhar sobre o tráfico como um modelo de negócio potente e estável, imune à crises da economia mundial, mesmo na ilegalidade, onde há, como em qualquer outra atividade econômica, consumidores, vendedores, produtores e investidores.


BETO MAGNANI - ATOR

 

Beto Magnani, além de ser filho do ator Umberto Magnani, ele é um dos fundadores da companhia paulistana "Pessoal do Faroeste", onde atuou nos espetáculos “Um Certo Faroeste Caboclo”, “Re-Bentos”, “O Indio”, “Cine Camaleão”, “Homem não Entra” e “Borboleta Azul”.  Ao lado do seu pai (o ator Umberto Magnani) atuou em “O Jogo”, texto e direção de Reinaldo Maia, e “Uma Vida no Teatro”, de David Mamet e direção de Francisco Medeiros. Integrou também, entre outros, o elenco de “Suburbia”, de Eric Bogosian e direção de Francisco Medeiros; “A Mulher Sem Pecado”, de Nelson Rodrigues e direção de José Rubens Siqueira; “Enfim Sós”, de Lawrence Roman, adaptação de João Bithencourt e direção de José Renato; “Nossa Cidade”, de Thorton Wilder e direção de Eduardo Tolentino de Araújo (Grupo Tapa); e “Tronodocrono”, de José Rubens Siqueira e direção de Francisco Medeiros, espetáculo que lhe deu o Prêmio Apetesp de ator revelação e indicação para o prêmio Mambembe na mesma categoria. Atuou também no Circo de Teatro Tubinho por dois anos, com repertório de espetáculos populares em turnê pelo interior do estado de São Paulo. Na televisão atuou em “As Pupilas Do Senhor Reitor”, novela do SBT; “Era uma Vez Leila”, série Retrato de Mulher da Rede Globo; e “Lua de Cetim”,tele-teatro da TV Cultura. No cinema atuou em Jogo Duro – roteiro e direção de Ugo Giorgetti, além de alguns curtas metragens.



SERVIÇO

 “PANÇA”

Temporada: 02 de novembro a 22 de dezembro de 2018, 

Local: Cia Pessoal do Faroeste

Endereço: Rua do Triunfo, 305 

Tel: (011) 3362-8863

Cris Siqueira
cineculturatv@terra.com.br

Cris Siqueira, jornalista, assessor de imprensa, apresentador de TV e empresário do entretenimento e cultura há mais de 18 anos, dirige o Cine Cultura- TV e Teatro, pela SKY, OI TV, GVT, ITV,  Rede NGT de Televisão  e Tv Mantiqueira.


Publicidade
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Seja o primeiro a comentar!
Rodapé