topo
Atibaia/SP
RSS  Twitter  Facebook 

Grupo JC
Acesse tambm:
Colunas deste autor:


Leia também:
Você está aqui: Home › Colunas › Cris Siqueira
Aumentar fonte Diminuir fonte Imprimir
0
CompartilharTwitter Facebook Orkut
03/02/2019

COMDIA AS GUERREIRAS DO AMOR

COMÉDIA “AS GUERREIRAS DO AMOR” ESTRÉIA NO TEATRO FOLHA COM ANDRÉ MATTOS E grande elenco


Com texto de Domingos de Oliveira e direção de Isser Korik, montagem é baseada na obra “Lisístrata”, de Aristófanes

 

AS GUERREIRAS DO AMOR

A comédia “As Guerreiras do Amor” bebem na fonte do teatro grego clássico e estreia renovada pela criatividade do dramaturgo Domingos de Oliveira e pela direção de Isser Korik. Baseada na obra “Lisístrata”, de Aristófanes, a peça foi encenada pela primeira vez há 30 anos. A nova montagem estreia dia 10 de janeiro no Teatro Folha, com sessões as quintas, sextas a sábados.

 

A primeira montagem, sucesso de crítica e público, foi encenada no ano de 1988 por um jovem elenco formado por Heloísa Périssé, Maitê Proença, Luiza Tomé, Priscila Rozembaum, Orã Figueiredo e André Mattos, entre outros. Também no elenco, estava Domingos de Oliveira, que assinava a direção. Hoje, André Mattos, ator com vasta experiência, se junta a um time de jovens atores paulistanos para recontar a história da prostituta Lisístrata, que lidera as mulheres de Atenas, revoltadas contra a guerra. Sem poder político, elas decidem fazer uma greve de sexo até que seus maridos façam um acordo de paz. 

 

O texto de Domingos de Oliveira, com colaboração de Priscila Rozembaum, é baseado na clássica comédia “Lisístrata”, escrita no século V a.C. A montagem atual tem apelos cômico e erótico, segundo o diretor Isser Korik. “A peça é uma comédia, com jeito de caricatura. Mas é também uma abordagem poética em relação ao sexo e ao relacionamento matrimonial”, conta Isser. 

 

O autor Domingos de Oliveira já declarou que o texto “ultrapassa os limites da adaptação, transformando-se em autoria”. Da "Lisístrata" original, ele inspirou-se no clima e mesmo na estrutura da dramaturgia, mas criou as personagens com mais liberdade. “As histórias do ‘julgamento final’ são basicamente do jovem Marquês de Sade e o poema final era uma sequência de um roteiro cinematográfico que não filmei. Esse material de diversas origens me encontrou a serviço da descrição de certo tipo de erotismo, que sempre foi o meu”, explica o autor. 

 

O ator André Mattos atualmente mora em Los Angeles e veio ao Brasil para realizar este projeto, que retoma a bem sucedida parceria com Isser realizada pela primeira vez em “O Empréstimo” em 2017. Na primeira montagem ele fez a personagem Cinésias, um dos soldados. Na montagem atual e ele é o General, personagem que foi de Domingos de Oliveira. “Entendo que os clássicos são atemporais. Estamos falando de um teatro grego, agora em 2018 depois de Cristo. Os motivos para remontar: porque é uma comédia maravilhosa, baseada numa obra clássica, adaptada por um gênio da dramaturgia brasileira, que é Domingos de Oliveira. A peça fala do poder da mulher, da força das mulheres. Tudo isso torna a montagem uma celebração”, diz André.


SERVIÇO: 

AS GUERREIRAS DO AMOR

TEATRO FOLHA 

Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 

Cris Siqueira
cineculturatv@terra.com.br

Cris Siqueira, jornalista, assessor de imprensa, apresentador de TV e empresário do entretenimento e cultura há mais de 18 anos, dirige o Cine Cultura- TV e Teatro, pela SKY, OI TV, GVT, ITV,  Rede NGT de Televisão  e Tv Mantiqueira.


Publicidade
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Seja o primeiro a comentar!
Rodapé