topo
Atibaia/SP
RSS  Twitter  Facebook 

Grupo JC
Acesse também:
Colunas deste autor:


Leia também:
Você está aqui: Home › Colunas › Gilberto Santanna
Aumentar fonte Diminuir fonte Imprimir
0
CompartilharTwitter Facebook Orkut
21/04/2018

Prefeito Walter Engrácia de Oliveira

 

 

Especialista em gestão de políticas de públicas , governou Atibaia de 1951 a 1954.

 

 

Corre no Facebook uma pesquisa de opinião indagando quem foi o melhor prefeito de Atibaia até hoje. Claro, sem pretensão a resultado de cunho metodológico. Ninguém perdeu. Ninguém ganhou.

 

O voto dá direito comentários. Imperdíveis. A paixão no morreu pelo menos nestes últimos setenta anos. 

 

Rogo igualmente o direito de escolha. Lá vai. Do ponto de vista politico enalteço o presidente do Conselho de Intendentes, Olímpio da Paixão. Exerceu pioneiramente o cargo de chefe do executivo, embora ainda embrionário. Lutou pela instalação do regime republicano em Atibaia confrontando com os que defendiam a monarquia dos Orleans e Bragança. Tarefa das mais difíceis. Sofreu perseguição pesada.

 

Por outro lado, admiro também o prefeito Walter Engrácia de Oliveira que somou inteligência, visão administrativa e capacidade de captação de recursos. Em sua homenagem transcrevo o artigo a seguir, já publicado anteriormente. Assim: 

 

 

 

- Alô, Walter Engrácia de Oliveira? Aqui fala a secretária do governador Lucas Nogueira Garcez. O Senhor está convidado para uma audiência no Palácio Campos Elíseos.

 

Numa terça-feira, na hora em ponto, o engenheiro Walter, de 27 anos, lá compareceu. Na antessala do poder remoía uma incógnita perseverante. O que pretenderia o governador? Por que tanta pompa, se nas classes da faculdade Politécnica da Universidade de São Paulo – USP, esbanjava amizade com o professor Nogueira?

 

A resposta não tardou. Entreouvir-se o seguinte diálogo: 

 

 - Walter, preciso de seus préstimos de excelente aluno. Conheço o seu potencial. Deparo-me com um problema que me preocupa muito. Existem neste Estado cinco regiões de tirar o sono. São bolsões de pobreza. Pretendo executar programas especiais. No olho do furacão encontra-se o Município de Atibaia. O isolamento geográfico inibiu os investimentos públicos básicos. Não há pré-escolas, nem ginásio, nem sistema de água e esgoto razoável. A vasta zona rural padece de tudo. Os poucos equipamentos urbanos em atividade datam do início do século. A energia e a rede elétrica são precárias. 

 

-Em que posso ajudar? Preparar alguns projetos?

 

 - Pretendo nomeá-lo prefeito. Você não estará sozinho. Intercederei para remeter à região Bragantina, promotores, juízes e delegados e quem mais possa ajudar na melhoria da qualidade de vida. Ah! Como a arrecadação municipal é quase zero, disporei das verbas necessárias. Já avisei o amigo comum Nilo Amaral, da Viação e Obras Públicas.

 

- Obrigado pela confiança. Aceito o desafio. Dedicarei os meus melhores esforços.

 

- E a política local? Indagou Walter.

 

- Trata-se do espinho da missão. Tradicionalmente ninguém se entende. As facções são inconciliáveis há muito tempo. A briga remonta aos Pires e Camargos. Nada que não possa ser contornado. Acredito na sua habilidade. As resistências e conspirações fazem parte do jogo político. Encare tudo com naturalidade.

 

O diálogo esticou para assuntos universitários. Comentou-se sobre o progresso e fracassos profissionais de alunos e professores. Aventuras e desventuras na roda viva da vida.

 

Nessa época, a população urbana de Atibaia contava 20 mil habitantes. Tudo aconteceu como planejado. O engenheiro Walter, nomeado e empossado, no curso do mandato que exerceu, inaugurou a pré-escola Florêncio Pires de Camargo. Criou o Serviço de Água e Esgoto de Atibaia (SAAE). 

Na Praça dos Três Poderes ergueu diversos prédios de concepção arquitetônica diferentes, atendendo a interdependência entre o Legislativo, Executivo e Judiciário.

A Companhia de Força e Luz recebeu o reforço de uma nova turbina, importada da Alemanha, duplicando a capacidade produtiva de energia elétrica. Instalou-se o posto de puericultura. Investiu-se maciçamente em educação, cultura e saúde, como um todo.

O governador Lucas Nogueira Garcez incorporou e transformou o Ginásio Atibaiense S/A no pioneiro Colégio Estadual Major Juvenal Alvim, antecipando em décadas os anseios citadinos. Iniciava-se uma geração de universitários.

 

Ainda, realizou memoráveis festas juninas e de aniversário da urbe. A limpeza pública e o lixo receberam tratamento impecável. A crise urbana rapidamente se dissipava no horizonte da seriedade administrativa. 

 

O então prefeito alargou amizade com João Batista Conti, prefeito de Atibaia por nove anos (1936/1945). Este era historiador, colecionador de antiguidades, além de bom político do Partido de Representação Popular – (PRP paulista). A contribuição do ilustre intelectual foi grande e diversa. Surgiu o museu da história brasileira e atibaiense.

 

O estilo de governo do prefeito Walter Engrácia desagradou alguns vereadores a serviço dos “coronéis”, acostumados aos sucupirianos costumes da República Velha. Os discursos de oposição correram soltos e sonoros na edilidade.

 

À cada acusação, jamais comprovadas, defendeu-se na própria tribuna do ataque. Prestou contas, tantas quantas vezes necessárias. Optou, com o risco da própria pele, não alimentar o fisiologismo político, tão em voga.

 

O presidente Getúlio Vargas suicidou-se em 23 de agosto de 1954. Temia-se tumultos e represálias pelo país afora. Diante da ameaça possível, o prefeito Walter não se intimidou. Manteve-se no posto, despachando normalmente no gabinete do Palácio Jerônimo de Camargo. Telefonou ao Juiz Dr. Antônio Chaves, comunicando-lhe a decisão. 

 

Enfim, o prometido pelo engenheiro Walter Engrácia de Oliveira cumpriu-se. A estrutura administrativa do município, apesar do fantástico crescimento demográfico, após o advento das rodovias Fernão Dias e Dom Pedro I, mudou muito pouco ou quase nada. O trinômio inteligência, competência técnica e recursos suficientes, dificilmente se repetirá nos tempos antes e depois. 

 

Serviço prestado, o ex-prefeito retomou a carreira acadêmica, tornando-se professor, e mais tarde diretor, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo - USP. Escreveu livros técnicos sobre abastecimento e tratamento da água destinada ao consumo público. Deu tratos aos resíduos urbanos.

 

No entanto, o personalismo diuturno não permitiu, até hoje, a construção de um marco de reconhecimento condigno à vocação do homem público Walter Engrácia de Oliveira. 

Lanço, pois a pedra fundamental da homenagem, com o objetivo sincero de resgatar a memória de tão importante personalidade atibaiana. 

Gilberto Santanna
gilbertosant@terra.com.br

Gilberto Sant´Anna é advogado e ex-prefeito de Atibaia.

Contato: gilbertosant@terra.com.br


Publicidade
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Seja o primeiro a comentar!
Rodapé